sexta-feira, 19 de março de 2010

Entenda por que as pessoas que tratam câncer ficam carecas

Na semana que a apresentadora Hebe Camargo voltou à televisão ela anunciou que estava usando peruca. Ela está perdendo os cabelos por causa do tratamento de um câncer no peritônio (a membrana que reveste os órgãos do abdome) com quimioterapia, que tem como efeito colateral a queda de todos os pelos do corpo.

O tratamento quimioterápico (feito por meio da aplicação de um conjunto de medicamentos na veia do paciente) tem vários efeitos no corpo, como uma baixa da imunidade (capacidade do corpo de combater infecções) e até mesmo náuseas.

Mas, historicamente, um dos efeitos que as mulheres mais sentem é a perda dos cabelos – que ao longo do tempo se tornaram um dos maiores símbolos da vaidade feminina. Por isso, elas normalmente recorrem a perucas e lenços para cobrir a cabeça.

Hakaru Tadokoro, médico oncologista da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), explica que infelizmente apenas uma minoria dos pacientes consegue passar pela quimioterapia sem a queda dos pelos – e não só dos cabelos, mas dos fios do corpo todo, inclusive das sobrancelhas e das partes íntimas.

- A queda ou não dos cabelos é determinada pelo tipo de medicamento que é usado na quimioterapia. As drogas mais novas têm como benefício provocar menos queda de cabelo.

Como acontece

O que nós chamamos de câncer é o crescimento desordenado de células que invadem determinados tecidos e órgãos – que podem até se espalhar para várias regiões do corpo. O princípio dos remédios que são usados na quimioterapia é atacar as células do corpo que se proliferam rapidamente, como as cancerosas.

Porém, o medicamento não tem “preferência” por uma célula ou outra, por isso ataca tanto as que estão “doentes” quanto às outras que se proliferam com rapidez. Exemplo disso são as células da mucosa da boca. Um paciente que se trata com quimioterapia acaba ficando com feridas na boca, por exemplo, por causa dos remédios.

Também se multiplicam em alta velocidade as células dos cabelos – afinal, eles crescem diariamente. Por isso elas também são atacadas pela quimioterapia, o que causa a queda dos pêlos. Tadokoro explica que já existem remédios que são mais “seletivos” no ataque às células e causam menos queda de cabelo.

Efeitos

A queda de cabelo acontece da mesma maneira para homens e mulheres. Em geral, os fios começam a cair depois de dez a 15 dias depois de o paciente ter recebido a primeira dose de quimioterapia.

O tratamento é pesado e a partir de então o cabelo começa a cair muito. Segundo Sophie Derchain, professora do departamento de tocoginecologia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), em média leva apenas 20 dias para que o paciente fique careca.

É sempre um consolo para os pacientes pensar que depois do final do tratamento o cabelo volta a crescer normalmente. Depois de cerca de um mês da última aplicação do medicamento é possível notar um crescimento de 0,5 cm a 1 cm. Porém, é mito aquela velha história de que o cabelo nasce diferente. Sophie explica que os fios que crescem são iguais aos que o paciente já tinha. Porém, como se trata de um cabelo novo, ele nasce mais fortalecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário